Problemas com funções vitais, como a sucção, a respiração, a mastigação e a deglutição (o ato de engolir);
Terapias de linguagem em casos de dislexia, dificuldade no aprendizado, leitura/escrita;
Aperfeiçoamento vocal de profissionais que utilizam a voz (cantores, radialistas, professores, políticos, etc.);
Síndromes que levam a alterações vocais, como pólipos e nódulos;
Terapias com pacientes com alterações neurológicas, em quadros como AVC e demências;
Realização de exames de audição e otoneurológicos;
Reabilitação dos pacientes portadores de deficiência auditiva, indicação/ adaptação / seleção de aparelhos auditivos, reabilitação vestibular;
Em terapias com crianças com dificuldades na fala: como trocas de fonemas, gagueira, disfunções na articulação temporomandibular, etc.